Big Data — Saiba o Que é e Qual a Sua Importância Nos Dias de Hoje

É muita informação (boa)!

Nos últimos anos, os dados passaram a ter uma enorme influência no setor corporativo de modo geral, e foi aí que o Big Data começou a se tornar realmente expressivo. Isso, principalmente, por conta da facilidade de obtenção e da maior possibilidade de análises específicas de certas informações.

Quer entender melhor sobre esse conceito e descobrir, de fato, porque investir nele vale a pena? Confira este artigo da GoDaddy!

O que é Big Data?

O conceito de Big Data, em si, é relativamente simples. Pense agora mesmo em todas as informações, dados, números, estatísticas, e-mails, nomes e tudo o mais que está sendo gerado nesse momento. Não importa se é algo estruturado, filtrado ou não.

Pensou?

Bem, isso é Big Data!

Trata-se de todo o volume de dados que é gerado a cada segundo, normalmente focado em empresas. E sendo assim, você já entende que esse não pode ser um conceito exatamente novo, afinal, nós geramos dados desde sempre, praticamente.

Há um estudo da Cisco, de 2016, que estima que anualmente, em média, nós passamos de um tráfego de dados de um zettabyte. Ou seja, mais de 1000 elevado à sétima potência em número de bytes. Isso é muito.

Entretanto, precisamos ir um pouco mais a fundo para explicar o que é o Big Data hoje. Afinal, devido à importância que os dados têm atualmente, o conceito deixou de ser somente o volume deles propriamente dito, e já envolve detalhes mais focados em análise e interpretação.

O que é Big Data para o mundo corporativo atual?

Com a expansão no uso e análise de dados, que proporcionou novos caminhos para áreas como o B.I. e o Data Science em geral, o Big Data passou a ser inserido no contexto corporativo de maneira mais específica.

Uma das novas influências envolve a aplicação do conceito dos “3 Vs”:

  • volume: basicamente, a quantidade de dados obtidos por meio de diferentes fontes e canais, incluindo sensores e operações financeiras, que envolvem contato entre máquinas e sistemas distintos;
  • variedade: o termo “dados” é extremamente abrangente, e como mencionado mais acima, engloba tanto as informações estruturadas (numéricas, estatísticas) quanto as que não são (documentos, músicas, filmes, históricos de transações financeiras). Essa complexidade de formatos é tida como a variedade, e quanto mais complexa, maior a chance de levar a resultados efetivos no uso dos dados;
  • velocidade: a rapidez da transmissão e tratamento das informações. O processamento deve ser ágil, pois muitos dados podem ficar obsoletos rapidamente, e podem perder seu potencial de tornarem-se insights relevantes.

Diante desses conceitos, podemos falar a respeito de como utilizar o Big Data em seu cotidiano empresarial.

Como utilizar na prática?

É importante compreender que a principal função desse volume enorme de dados para sua empresa é, claro, gerar insights para melhorar a tomada de decisão. Isso pode envolver diversos aspectos. Veja alguns:

Business Intelligence

Conhecido como B.I., o Business Intelligence é um setor que tem como objetivo transformar dados puros em relatórios e documentos visuais e intuitivos. O ideal é que eles, por si só, permitam decisões mais precisas e com bons resultados para expandir os negócios.

O profissional, em suma, capta os dados, os interpreta com base no objetivo primário da implementação de seu trabalho e os transpõe para ferramentas mais visuais. Ou seja: o Big Data é basicamente o ponto central de sua função!

Mailing e cadastros de clientes

Se você tem uma loja virtual, ou até mesmo se está usando estratégias de inbound marketing, provavelmente lida com muitos e-mails de leads, correto? Então, você precisa recolhê-los, montar segmentações, desenvolver fluxos e estratégias específicas, etc.

Isso também é Big Data! Cada e-mail é um dado, e a maneira como você trata cada um envolve análise, precisão e, principalmente, tomadas de decisão efetivas. Ainda mais se você precisa selecionar os que irão para a área comercial, ou os que receberão certos e-mails de remarketing ou carrinho abandonado, por exemplo.

Inteligência de mercado

A inteligência de mercado é uma das áreas que mais se vale do Big Data. Isso porque praticamente todo o seu trabalho é pautado em informações estruturadas, mas muito abrangentes.

Todo o estudo de compradores, de que consumidor espera o quê da marca ou do produto, de como vendê-los da melhor maneira, entre outros tipos de análise, são totalmente fomentados por dados obtidos após testes específicos.

Sendo assim, o volume de informações é crucial para estabelecer grupos de controle em testes e experimentos, como o focus group, ou grupo focal — estratégia em que um pequeno grupo de pessoas tem como objetivo avaliar marcas e produtos para que sejam captadas reações deles por parte da empresa.

Gostou de entender melhor o conceito de Big Data? Aproveite e veja mais artigos sobre o universo corporativo e tecnologia aqui, no blog da GoDaddy Brasil!

Lucas De Vivo é jornalista e trabalha como Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Até agora, todas as suas experiências profissionais foram dedicadas à área de conteúdo, e é ali que ele se encontra. Apaixonado pela escrita, acredita que qualquer hora do dia sem tomar café, se comunicar ou criar é tempo perdido. Adora conversar com proprietários de pequenas empresas — principalmente as mais disruptivas — e ter ótimas ideias com eles!