Checklist de Segurança — Veja 8 Passos Para Tornar Seu Site Seguro

Evite ataques cibernéticos

Não sabe o que fazer para ter um site seguro? Confira este checklist de segurança para evitar ataques cibernéticos de hackers!Quando você tem um site, milhares de pessoas podem chegar a ele… Incluindo criminosos virtuais. Eles podem entrar na rede da sua empresa, roubar seus dados e os de seus clientes para usá-los com fins mal intencionados, prejudicando seu negócio. 

Por isso, é importante que você tome ações proativas para combater as ameaças — desde usar um gerador de senhas até instalar um certificado SSL — a fim de reforçar sua página e, assim, reduzir a chance de ser vítima de ataques cibernéticos. Continue lendo para conhecer o checklist de segurança básico.

Checklist de segurança: 8 ações para o seu site 

Complete os 8 elementos desse checklist de segurança para eliminar brechas no site que possam ser aproveitados por hackers ou piratas cibernéticos e garantir que seus clientes consigam fazer uma compra segura. São eles:

  1. habilitar o protocolo HTTPS;
  2. atualizar os software e plugins;
  3. realizar cópias de segurança;
  4. comprovar a integridade de seus arquivos;
  5. modificar o nome do usuário;
  6. gerar senhas automáticas;
  7. mudar registos DNS e proteger seu domínio;
  8. executar uma limpeza de malware.

Continue lendo para saber mais!

1. Habilitar o protocolo HTTPS 

Com certeza você notou que as URLs no começo têm “https”, que quer dizer “protocolo de transferência”, ou seja, a linguagem que os navegadores usam nos dispositivos para se conectar à internet e compartilhar informações.

Por outro lado, provavelmente também ouviu falar das siglas SSL. Estas correspondem ao termo “Secure Socket Layer”, sistema que protege a comunicação entre o navegador de um usuário e sua página web por meio de código encriptado. 

Em resumo, trata-se de colocar o S no protocolo HTTPS para garantir uma transferência segura de dados no seu site.

Mas não só isso, já que os navegadores como Chrome mostram com uma mensagem de “não seguro” os sites que não têm o protocolo, o Google leva isso em consideração para critérios de posicionamento do site. Então, melhor ficar em dia e garantir seu certificado SSL agora mesmo!

2. Atualizar os software e plugins

Quando você tem uma página em um servidor próprio — ou em uma hospedagem de terceiros —, a responsabilidade de ter seu sistema operacional atualizado recai sobre sua equipe informática. E, por extensão, no orçamento que tenha para isso.

Além disso, se usa um gestor de conteúdo como WordPress, deve ter em conta que seus plugins e funções extras lançam atualizações constantemente, seja para corrigir vulnerabilidades que os hackers possam aproveitar. Assim, se mantém essas versões antigas, vai estar expondo seu site a ataques maliciosos.

3. Realizar cópias de segurança

Se eliminarem os dados da sua página, ela se infecta com um código malicioso ou há algum dano no servidor, anos e anos de trabalho, design e informação podem se perder em um segundo. Mas, se você faz cópias de segurança diárias,  isso pode ser evitado

Porém, não é ideal guardar o backup em seu servidor, senão que armazená-lo em um local seguro. Verifique com seu provedor de hospedagem se ele oferece um serviço na nuvem e se ele pode restaurar com um clique.

Para grandes empresas, o mais recomendado é ter duas cópias em lugares completamente diferentes, caso uma falhe. Então, coloque em prática esse passo do checklist de segurança!

4. Comprovar a integridade de seus arquivos

Preste atenção nos arquivos de imagem, documentos de Excel, Word e até mesmo PDF que você coloca na página, já que podem estar corrompidos.

Para isso, use ferramentas de verificação para fazer uma análise e comprovar o estado dos seus documentos. Eles farão o escaneamento dos dados em busca de vírus e programas maliciosos.

5. Modificar seu nome de usuário

Às vezes, os hackers não são tão espertos quanto pensamos e simplesmente “chutam” as combinações mais comuns de letras e números para averiguar nomes de usuários e senhas. Isso se chama “ataque de força bruta”.

Frente a isso, o primeiro que deve fazer ao configurar sua página é criar um nome diferente para a conta de administrador e eliminar o usuário “admin”. Desta forma, se alguém tentar usar esse nome, você não está em perigo. Viu como é fácil cumprir com essa etapa do checklist de segurança?

6. Gerar senhas automáticas

Falando de ataques de força bruta, pode reduzir consideravelmente suas possibilidades de êxito com o uso de senhas extremamente seguras.

Não crie suas próprias, pois pode ser que as esqueça se são muito complicadas, ou que as simplifique demais. O melhor é usar um gestor de senhas para guardá-las.

O melhor a fazer para cumprir o checklist de segurança é que as senhas tenham várias palavras e símbolos, que são quase impossíveis de decifrar.

7. Mudar registros DNS e proteger o domínio

O roubo de domínios também acontece. Existem ferramentas que mostram o e-mail e, a partir disso, conseguem roubar sua identidade.

Por outro lado, os registros DNS que linkam seu endereço de IP com o nome de domínio pode ficar comprometido se não usar um firewall que os proteja. Por isso, use um Firewall de Aplicativos Web (WAF, em inglês) para filtrar os dados que entram e eliminar o código malicioso antes que ele ingresse na rede.

8. Executar uma limpeza de malware

Como mencionamos antes, é importante prevenir e escanear seu site em busca de programas e arquivos maliciosos. Simplesmente, estima-se que 18 milhões de sites são infectados a cada semana.

Mesmo que seja um blog pessoal, um pequeno negócio digital ou uma grande corporação, existe a possibilidade de que um hacker tente te atacar e você pode agir a tempo e manter seus dados a salvo.

Agora que já sabe como cumprir com um checklist de segurança, veja como ter mais confiança dos usuários!

Isabela Guiaro é jornalista e Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Pós-graduada em Globalização e Cultura, é apaixonada por estudos relacionados à cultura latino-americana e pelo idioma espanhol, além de saber até demais sobre as indústrias musical e cinematográfica da América Latina. Conecte-se com Isabela pelo Twitter.