Comércio Eletrônico — O Que É E Como Garante A Sua Segurança?

Segurança na loja virtual

O comércio eletrônico já vinha em uma tendência de crescimento exponencial nos últimos cinco anos. Para citar como exemplo, a pesquisa Movimento Compre&Confie sobre as lojas virtuais no Brasil mostrou que, em 2019, houve um aumento de 56% de vendas digitais. 

Naquele ano, muitos especialistas apostavam na transição digital de empresas e, principalmente, do varejo, para o on-line como um dos processos mais importantes da nova década. Porém, com a chegada da pandemia da covid-19, que atingiu a todos em escala global em 2020, esse processo se acelerou ainda mais. 

Em apenas alguns meses, foi possível ver essa mudança forçada para os canais virtuais para que os empreendedores tivessem a oportunidade de continuar faturando — ou que novas pessoas conseguissem abrir o próprio negócio e garantir a renda, mesmo trabalhando de casa.

Continue lendo para descobrir:

  • o que é comércio eletrônico;
  • qual o panorama do e-commerce no Brasil e no mundo;
  • a importância da segurança na loja virtual;
  • como garantir segurança on-line.

O que é comércio eletrônico

O comércio eletrônico nada mais é do que a criação de sites que permitem a compra e venda de produtos diretamente pela internet. Ou seja: tanto o cliente quanto o vendedor não precisam se ver, sair de casa ou ter qualquer tipo de contato para que o produto seja comercializado e enviado a seu destino. 

Essa é uma prática que começou a se popularizar no início dos anos 2000 nos Estados Unidos, quando a internet passou a ser um item presente na vida das pessoas. Aqui no Brasil, embora já existissem iniciativas desde essa época, o crescimento maior foi a partir da década de 2010.

Existem três maneiras principais de realizar esse tipo de transação:

  • criando uma loja virtual: nessa modalidade, você terá o seu próprio site e poderá organizá-lo da forma que achar melhor, automatizar as transações, ter maior alcance nas ferramentas de busca e aumentar a relevância da marca;
  • colocando os produtos em um market place: ao usar uma plataforma “alugada”, uma empresa cede seu espaço e sua visibilidade para que você possa vender, mediante ao pagamento de uma taxa por cada venda — é o caso do Mercado Livre ou da Amazon, por exemplo;
  • divulgando nas redes sociais: esse é um método muito usado por quem ainda está começando e, apesar de ser interessante por não ter que pagar pela plataforma, tem pouco alcance e todas as negociações são feitas manualmente.

Qual o panorama do e-commerce do Brasil e no mundo

De acordo com Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o e-commerce no Brasil teve um salto de 68% em 2020, faturando cerca de R$ 126,3 bilhões — o crescimento foi impulsionado, obviamente, pelas medidas de distanciamento social.

Aliás, engana-se quem pensa que esse é um movimento exclusivo de grandes cidades. O aumento de vendas por meios digitais também impactou positivamente regiões mais afastadas das metrópoles brasileiras.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) mostra em um relatório comparando 2019 com 2020 que a região do Oeste Paulista — onde está a cidade de Presidente Prudente, por exemplo — registrou um aumento de 18% no comércio eletrônico.

Inclusive, a pesquisa também mostra que o tíquete médio nessa zona é maior que a média do estado: R$ 476 contra R$ 392,39. Ao todo, foram contabilizadas mais de 873 mil transações virtuais.

A importância na segurança na loja virtual

A digitalização do comércio também aumentou a virtualização de crimes relacionados a fraudes, golpes, clonagem de cartão e, principalmente, roubo de dados, no geral. Portanto, é essencial garantir a segurança na loja virtual.

Adotar medidas que promovem a transação segura é benéfico não apenas para você, como também para o seu cliente. As tecnologias irão, por exemplo, identificar ataques de hackers que poderiam derrubar o seu site ou mesmo fornecer opções de pagamento falsos, fazendo com que você perca a mercadoria e fique sem o dinheiro.

Para o consumidor, essa é a garantia de que ele pode colocar seus dados pessoais no cadastro de um site sem medo de que eles serão roubados e usados para fazer outras compras falsas.

Como garantir segurança on-line? 

Então, como criar um comércio eletrônico e garantir segurança on-line? Veja só alguns pontos que devem ser levados em consideração:

1. Ter um site em uma plataforma segura

Se você realmente quer entrar no universo do e-commerce, é importante investir na criação de um site próprio. Como já mencionado, ele ajuda na personalização, construção de uma identidade da marca e, consequentemente, no aumento da relevância e conhecimento pelo público, além de ter maior alcance nas pesquisas do Google.

Mas, além disso, ter uma plataforma on-line de loja virtual garante que você conte com um gateway de pagamentos seguro. O processo de checkout, além de automatizado, impede o compartilhamento de informações de forma que elas fiquem de fácil acesso ou, ainda, que os pagamentos sejam fraudados.

Em vendas “boca a boca” por redes sociais, por exemplo, há o perigo de alguém enviar comprovantes de pagamento falsos. Além disso, se o seu perfil for hackeado, você perderá todos os contatos com clientes — e informações pessoais nas mensagens ficarão expostas aos invasores.

2. Certificado SSL

Uma das principais maneiras de garantir a segurança no seu comércio eletrônico é por meio da instalação de um certificado SSL. Ele é um protocolo desenvolvido para acrescentar camadas dentro do site que dificultam as atividades irregulares, como a tentativa de roubo de dados.

Além disso, é ele que deixa aquele símbolo de cadeado ao lado da URL na barra de endereço. Esse é o sinal que o consumidor precisa para saber que aquele site é seguro para navegação, gerando maior confiança entre os usuários.

3. Servidores e hospedagem

Não basta apenas criar um site, como também pensar em qual plataforma ele será hospedado e qual tipo de servidor irá garantir que ele fique no ar. O ideal é garantir um serviço de VPS dedicado e que seja totalmente seguro, como é o caso das opções disponibilizadas pela GoDaddy.

Gostou de saber o que é comércio eletrônico, o panorama de mercado e dicas para manter as lojas virtuais seguras? Então aproveite e leia mais medidas de segurança para empreendedores on-line!

Isabela Guiaro
Isabela Guiaro é jornalista e Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Pós-graduada em Globalização e Cultura, é apaixonada por estudos relacionados à cultura latino-americana e pelo idioma espanhol, além de saber até demais sobre as indústrias musical e cinematográfica da América Latina. Conecte-se com Isabela pelo Twitter.