Como Criar Um E-Book Do Zero — Guia Completo

Deixe iscas digitais!

Se você acredita que a produção de conteúdo é importante para a captação de leads para o seu negócio, então é essencial saber como criar um e-book do zero. Afinal, esse é um tipo de material importante para estratégias de marketing digital, podendo aumentar a autoridade da marca e as conversões — e até mesmo ser vendido.

Mas para atingir esses objetivos, o ideal é que você consiga fazer a criação de um conteúdo rico e que incentive o público a procurar mais sobre a sua empresa. Então, veja este guia completo para saber:

  • o que é um e-book;
  • como usar seu e-book em estratégias de marketing digital;
  • como criar um e-book.

Vamos lá?

O que é um e-book?

O e-book é um termo criado para livros eletrônicos. Ou seja, trata-se de formatos de textos mais aprofundados, adaptados especialmente para serem consumidos via equipamentos e plataformas on-line.

Além da transformação de livros já existentes no formato físico, a ideia do e-book é que ele possibilita a criação de conteúdos completamente novos e que só existem no meio digital.

Ou seja, é uma ótima oportunidade para criar guias que são mais aprofundados que artigos e disponibilizá-los em formato PDF para o público da sua empresa.

Como usar seu e-book com estratégias de marketing digital?

Antes mesmo de saber como criar um e-book, é preciso entender de que forma ele vai ser utilizado para sua estratégia de marketing. Isso ajudará a criar um direcionamento para a linguagem e o tipo de conteúdo que será colocado no texto.

Existem duas principais maneiras de usar a sua publicação digital. São elas:

Captação de leads

Em geral, essa é a principal maneira de utilizar um e-book para estratégias mais convencionais, como é o caso do Inbound Marketing.

A ideia é criar uma landing page que será patrocinada para chegar a um público maior. Nela, vão estar informações sobre o conteúdo, de modo que o usuário fique instigado a fazer o download.

Porém, ele não deve ser disponibilizado assim, de forma simples. Para que o visitante possa baixar o livro, solicite informações básicas, como é o caso de nome e e-mail. Assim, você consegue fazer a captação de leads.

Depois, usando esses endereços eletrônicos, é possível traçar estratégias de e-mail marketing para fazer a nutrição dos leads e levá-los ao fundo do funil de compras. Desse modo, ele fica mais próximo da conversão.

Porém, é preciso fazer isso usando as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Segundo a legislação, você só pode usar essas informações se estiver explícito que você irá usá-lo para ações de marketing — e o usuário deve aceitar esse uso.

Venda de infoprodutos

O mercado de infoprodutos cresce cada vez mais. Além de cursos e clubes de assinatura, outra forma de comercialização de conteúdos 100% digitais é por meio dos e-books.

Isso é ótimo, em especial para quem já escreveu algum livro, mas tem dificuldades para publicações físicas, pois é preciso buscar editoras ou formas de fazer impressões de forma independente — o que pode ser difícil para orçamentos baixos, principalmente porque o custo para a aquisição do livro também acaba aumentando.

A publicação digital, então, torna o conteúdo muito mais acessível.

Como criar um e-book?

Certo, você já entendeu o que é e como usar os livros digitais para as suas estratégias de marketing. Agora, chegou o momento de aprender como criar um ebook. Os passos são:

  1. escolher um tema;
  2. definir a etapa do funil;
  3. criação de conteúdo;
  4. diagramação e ilustrações;
  5. publicação.

Veja só:

1. Escolher um tema

Já parou para pensar no que pode ser relevante para o seu público? Não basta apenas decidir criar um e-book, mas, sim, desenvolver um conteúdo que realmente chame a atenção e que faça com que as pessoas queiram fornecer seus dados ou mesmo pagar pelo livro.

Ou seja, é preciso conhecer a sua persona ideal. Pergunte-se:

  • qual sua faixa etária?;
  • ela tem um gênero específico?;
  • a persona tem algum tipo de formação ou profissão?;
  • sua geolocalização é importante?;
  • quais as principais dores desse público que podem ser resolvidas pela sua empresa?

Para deixar mais claro, vamos usar um exemplo prático. Supondo que você tenha uma loja de roupas femininas que também tem um clube de assinaturas para receber consultoria de moda e descontos em peças exclusivas.

Nesse caso, sua persona certamente está interessada em um e-book que ofereça algumas dicas de moda. Então, você pode divulgar guias com as principais tendências para o próximo ano, materiais de roupas para cada estação, entre outras coisas.

2. Definir a etapa do funil

Aqui, é importante definir em que momento da conversão o seu público está. Você quer atrair quem ainda não conhece o seu serviço, ou está pensando em ações mais diretas para quem já segue, mas ainda não fez a compra?

O funil de vendas é um conceito extremamente importante para o marketing de atração, pois ele tem como objetivo nutrir os leads até que eles façam a conversão. Oferecer um material de topo para quem já está no fundo pode acabar prejudicando a sua jornada.

O mesmo ocorre se você oferecer ações mais diretas incentivando a compra para uma pessoa que acabou de ouvir falar do seu negócio. Ela vai “se assustar” e achar que você só quer vender.

Uma boa ideia de conteúdos que podem servir para cada etapa são:

  • topo: falar essencialmente sobre o tema proposto e fazer uma breve menção sobre a loja no final do conteúdo;
  • meio: também mencionar em maioria o tema, mas pincelar com alguns exemplos que estejam relacionados ao seu negócio. Você pode linkar artigos do seu blog ou mesmo produtos;
  • fundo: mostrar o seu negócio como a solução para o tema selecionado. Usando o exemplo da loja, é possível colocar a consultoria como a melhor opção para quem quer se vestir com mais estilo.

3. Criação de conteúdo

Depois de definir tema e etapa, chegou a hora de escrever! Selecione as melhores fontes e enriqueça o conteúdo com dados sólidos e pesquisas.

Lembre-se que a pessoa que está disposta a baixar em troca de dados está esperando um texto mais aprofundado. Então, não basta apenas fazer um compilado de informações que estão em blogs de livre acesso. Faça um esforço para criar algo diferente e que mostre seu valor ao público.

4. Diagramação e ilustrações

O e-book é um elemento extremamente visual. Então, não ache que é só fazer um bloco de texto e convidar as pessoas a lerem, ok? 

No processo de diagramação, faça uma capa e crie estilos para a parte interna que conversem com o tema. Também utilize imagens e ilustrações sempre que possível para deixar o conteúdo ainda mais completo.

Gostou de saber como criar um e-book? Então conheça mais sobre os infoprodutos e de que forma eles podem ajudar a alavancar o seu negócio!

Isabela Guiaro é jornalista e Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Pós-graduada em Globalização e Cultura, é apaixonada por estudos relacionados à cultura latino-americana e pelo idioma espanhol, além de saber até demais sobre as indústrias musical e cinematográfica da América Latina. Conecte-se com Isabela pelo Twitter.