5 Dicas para Melhorar Experiência do Usuário no Seu Site

Os fatores que vão melhorar a navegabilidade do seu site!

Navegar por sua página virtual tem sido algo que deixa as pessoas satisfeitas ou frustradas? Você já parou pra pensar sobre isso? Se ainda não, saiba que essa reflexão pode indicar o caminho do sucesso para o seu investimento. Foi pensando em tudo isso que listamos seis dicas para melhorar a experiência do usuário no seu site. 

Os cuidados são imprescindíveis, já que impactam no número de acessos, na taxa de rejeição e, claro, nas vendas. Só que para pensar e aplicar as melhorias, é preciso se colocar no lugar dos visitantes e, assim, procurar saber o que faz mais sentido para eles. 

Conheça todas as dicas básicas de UX (User Experience) e garanta muito mais visitas e conversões para sua casa virtual! 

Como entender as necessidades e melhorar experiência do usuário?

Como dissemos anteriormente, o primeiro passo para você definir melhores estratégias digitais é ter uma postura empática em relação aos seus leitores ou clientes. E você pode entender o que eles preferem se comunicando diretamente com eles.  

Faça entrevistas por meio de questionários, fóruns ou mesmo por meio de publicações nas próprias redes sociais. Aliás, o Facebook é uma ótima maneira de entender as emoções das pessoas, já que esse site tem aquelas opções de reações (joinha, coração, expressão de raiva, diversão, espanto e tristeza). 

Além disso, você também pode consultar, por exemplo, as boas práticas do Google ou sobre teorias de design. É claro que todos os pontos também precisam estar de acordo com a identidade da sua marca. Confira as seis dicas:

1. Arquitetura da informação

A arquitetura da informação significa organizar dados a fim de fazer com que as pessoas consigam navegar e chegar aos seus objetivos. Esse conceito também costuma ser explicado como esqueleto do site, ou seja, contempla páginas de departamentos, categorias, produtos, home, menu e todos os outros tipos de informações. 

É interessante pensar na arquitetura da informação de um modo em que ela seja objetiva, clara e intuitiva para garantir melhora da experiência do usuário. Sendo assim, pense que, para o usuário chegar ao que ele deseja, quantos menos cliques, melhor. Não crie barreiras! 

Fazer o mapa do site no rodapé também ajuda as pessoas acharem mais facilmente a informação que procuram. 

2. Layout

Depois que você pensou ou repensou a arquitetura da informação, chegou o momento de escolher o layout. 

Defina formatos, cores, espaçamentos e artes que sejam bonitas e, ao mesmo tempo, que facilitem a usabilidade da sua casa virtual. Por exemplo, vamos supor que você queira usar um tom muito vibrante ou que queira colocar um banner enorme na home, mas será que essas opções não vão prejudicar a leitura e a navegabilidade? 

Cada escolha tem um peso muito grande, por isso, é importante contar com ferramentas que auxiliam na criação de layout ou contratar um profissional de web design

3. Conteúdo

Você, certamente, já teve a experiência de entrar um um site e não encontrar informações suficientes de um produto ou serviço, não é mesmo? Isso é bem ruim e acaba fazendo com que muitas pessoas abandonem a página virtual. 

Para evitar esse problema, aposte em conteúdo. Isso quer dizer que os produtos, por exemplo, precisam de descrições a respeito de tamanho, matéria de confecção, cor e demais detalhes. Ou, se for a respeito de um serviço, é necessário explicar o passo a passo da funcionalidade, quais são as vantagens, custos e tudo mais. 

Os conteúdos, além de ajudarem a melhorar experiência do usuário, ainda fazem com que o Google, por exemplo, considere as páginas como relevantes — um fator essencial para o rankeamento na página de busca do próprio buscador. Aliás, caso faça sentido para a sua marca, também é possível criar um blog com conteúdos diversos

4. Tempo de carregamento

Imagina que você está tentando entrar em um site e ele leva muito tempo para carregar, então, o que você costuma fazer: espera ou abandona a página? A grande maioria das pessoas acaba optando pela segunda alternativa e isso, inclusive, impacta na taxa de rejeição. 

Vale lembrar que esse dado é responsável por indicar quando um usuário entra no site, mas não clica em nada e acaba saindo. Por isso e, também, porque o Google leva em consideração o tempo de carregamento no rankeamento das páginas, é indispensável buscar melhorias. 

Mas, afinal, em quanto tempo uma página on-line deve carregar? Nos últimos anos, o Google tem indicado que o ideal é que um site carregue, em média, até dois segundos. Sendo assim, é fundamental que você escolha a melhor hospedagem de site, otimize toda a página virtual com base nas boas práticas de SEO e de CRO e não utilize imagens e nem banners grandes mais. 

5. Responsividade

Muitos donos de sites institucionais e e-commerces investem na versão das páginas para desktop, mas acabam se esquecendo da versão mobile. É por isso que a responsividade é importante, esse termo quer dizer que uma casa virtual roda perfeitamente tanto no computador, quanto em smartphones e tablets. 

Na hora de trabalhar a responsividade, priorize estruturas mais curtas para as páginas, ou seja, para que os usuários não precisem ficar rolando a tela do celular infinitamente até chegar ao rodapé. 

Além disso, os botões precisam ter o tamanho adequado para que a ponta dos dedos consiga ativá-los, e as imagens também devem ser menores, para que rodem melhor no mobile e não afetem o tempo de carregamento. 

Gostou de entender como melhorar experiência do usuário no seu site? Não deixe de conhecer as soluções digitais da GoDaddy e outras dicas aqui no blog!