Inbound Marketing — Guia Completo Para Iniciantes

Atraia mais clientes!

Se você deseja trabalhar a sua presença digital e aumentar as vendas na internet, é essencial conhecer as técnicas de inbound marketing. Ele se trata, atualmente, de uma das principais ferramentas para o crescimento de empresas no meio virtual, sendo uma ótima oportunidade para atingir seus objetivos.

Esse método de captação de clientes tem como objetivo não apenas fazer com que eles comprem, mas também vejam a empresa como uma autoridade, uma parceira, uma solução para os seus problemas por meio de conteúdos relevantes. 

Continue lendo para descobrir:

  • o que é inbound marketing;

  • quais os pilares do inbound marketing;

  • funil de vendas;

  • principais estratégias do inbound marketing.

O que é inbound marketing?

O inbound marketing também é conhecido popularmente como marketing de atração. Isso porque se trata de um conjunto de estratégias que têm como objetivo atrair os usuários da internet para a empresa de forma passiva.

Ou seja: ao contrário do outbound marketing, não é o negócio que vai ativamente atrás do cliente, mas sim o cliente que vai até o negócio. Porém, para fazer com que os consumidores cheguem até a marca, são deixadas algumas “iscas” para que ele sinta vontade de conhecer melhor o produto.

Em geral, isso é feito por meio da criação de conteúdos relevantes, que irão dar informações de qualidade aos consumidores. Desta forma, eles passarão a ver a empresa cada vez mais como uma boa fonte de dados — e, ao longo do tempo, ela ganhará credibilidade por ser uma autoridade no assunto.

Quais os pilares do inbound marketing?

Entre o usuário despertar interesse em um conteúdo e comprar, de fato, algum produto, há um longo caminho. É por isso que a jornada de compras é dividida em alguns pilares:

Aprendizado ou descoberta

Aqui, a pessoa não sabe que tem um problema e, muito menos, como resolver. Ela começa a buscar nas ferramentas de busca algumas dúvidas simples sem o entendimento de que aquilo pode ter uma solução.

Por exemplo: uma mulher gosta muito de cuidar de seu cabelo e quer fazê-lo crescer. Então, ela pesquisa algumas dicas diárias para mantê-lo bonito e saudável.

Nesse momento, ela encontra um site que dá algumas ideias de como lavar, fazer hidratação, pentear, entre várias outras técnicas que são importantes para deixar os fios com uma aparência agradável.

Reconhecimento do problema

Nessa segunda etapa, o usuário já percebeu que as suas dúvidas podem ser, na verdade, o indicativo de que existe um problema que precisa ser resolvido. 

Seguindo o exemplo mencionado, a mulher já começa a entender que simplesmente fazer hidratações pode não ajudar a crescer o cabelo. Ela percebe que a alimentação e as vitaminas são importantes para a estrutura do fio ficar mais forte. 

Ela sabe que não tem os melhores hábitos alimentares, e que é provavelmente isso que está impedindo o seu cabelo de chegar no resultado esperado.

Decisão de compra

Ela já sabe que tem um problema e já tem uma ideia de como pode resolver. Desse modo, só falta um “empurrão” para que ela decida pela solução oferecida pela empresa.

Também considerando o exemplo acima, o site em questão que a mulher consome os conteúdos vende vitaminas para fortalecimento de cabelos e, com isso, ela começa a considerar a opção.

A empresa irá se mostrar como a melhor alternativa para crescer o cabelo e o usuário que já consumiu vários de seus conteúdos confia nela para ser quem possa dar essa solução.

Funil de vendas

Esses pilares são acomodados em um conceito extremamente importante para o inbound marketing: o funil de vendas. Ele funciona da seguinte forma: cada etapa da jornada de compra da pessoa é uma das fases pelas quais o usuário deve passar até se tornar um cliente.

  • topo: a maior parte é a que tem pessoas no estágio de aprendizagem. Eles ainda são desconhecidos e devem ser “nutridos” com muitos conteúdos para que possa avançar;

  • meio: aqui, há um filtro. Um pouco mais estreita, essa etapa do funil tem aqueles que reconhecem que têm um problema mas ainda não estão prontos para comprar. Essas pessoas já são visitantes recorrentes;

  • fundo: no final do funil, estão os chamados “leads”, que já sabem que precisam resolver o problema e reconhecem a marca. Portanto, é preciso terminar de convencê-lo dos benefícios dos seus produtos.

Principais estratégias do inbound marketing

Então, na prática, o que é feito para atrair esses usuários para a jornada de compras até que se tornem clientes? Algumas das principais estratégias que fazem parte do inbound marketing são:

Criação de uma persona

Técnicas são bem sucedidas quando são pensadas em atingir um público específico. Isso vai ajudar a empresa a definir segmentação de anúncios no Google ou nas redes sociais, ou mesmo a entender como deve se comunicar, quais assuntos abordar, entre outras coisas. 

Por exemplo: pode até ser que um homem com mais de 40 anos esteja procurando dicas para fazer o cabelo crescer, mas não vale a pena focar os esforços em seu perfil para criar estratégias da empresa mencionada. 

A persona, portanto, vai nortear tudo o que for feito com base em:

  • faixa etária;

  • geolocalização;

  • classe social;

  • profissão;

  • gênero.

Marketing de conteúdo

Com base nas informações obtidas na criação da persona, vale a pena criar uma estratégia de marketing de conteúdo pensada para atrair o público ideal por meio de artigos em um blog. Essa é a melhor forma de chegar a essas pessoas de forma orgânica e natural.

Os temas ainda podem ser divididos nas etapas de funil mencionadas. Por exemplo:

  • topo: artigos sobre o que está no universo temático de interesse da persona, mas não necessariamente é sobre o seu produto;

  • meio: temas um pouco mais focados na relação com o produto, mas apenas com breves menções sobre a empresa;

  • fundo: assuntos diretamente relacionados com o produto e uma oferta clara sobre como a empresa pode solucionar o problema.

Materiais ricos

Os materiais ricos são iscas digitais de altíssimo valor que conseguem acelerar a conversão de leads. Oferecer um e-book ou infográfico, por exemplo, além de oferecer informações mais aprofundadas aos usuários, também ajuda na captação de dados para criar fluxos de nutrição.

Isso porque esses materiais são disponibilizados por uma landing page que requer o cadastro de e-mail para baixar o arquivo.

E-mail marketing

Com os contatos que você conseguir nas conversões de landing page, é possível começar a traçar estratégias de e-mail marketing a fim de fazer com que os leads avancem no funil e na jornada de compras.

Por meio dos fluxos de nutrição, você oferece conteúdos relevantes e exclusivos e, ainda, pode oferecer produtos ou mesmo promoções especialmente para uma lista de e-mails VIP.

Agora que já sabe o que precisa para começar sua estratégia de inbound marketing, confira dicas de como trabalhar o funil de vendas para o seu negócio!

 

Isabela Guiaro é jornalista e Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Pós-graduada em Globalização e Cultura, é apaixonada por estudos relacionados à cultura latino-americana e pelo idioma espanhol, além de saber até demais sobre as indústrias musical e cinematográfica da América Latina. Conecte-se com Isabela pelo Twitter.