O Que É CLI E Para Que Serve?

Descubra as funcionalidades da CLI!

Você sabe o que é e para que serve uma CLI (Interface de Linha de Comando)? Trata-se de um programa que permite que os usuários digitem comandos de texto dando instruções a um sistema operacional para a execução de determinadas ações.

A sua utilização confere mais agilidade no dia a dia de quem trabalha com Tecnologia da Informação (TI), sendo empregada, por exemplo, em sistemas que possuem recursos insuficientes para oferecer suporte a uma interface gráfica de usuário, entre outras aplicações.

A partir dessa ferramenta, os programadores conseguem criar linhas de comando, utilizando as linguagens adequadas para cada aplicação, ou na manutenção de serviços de hospedagem, para criar funcionalidades e comportamentos em sistemas e softwares. 

Há quem relute em usar essa ferramenta por achar que apenas usuários muito experientes podem aproveitá-la, o que não é verdade. Desenvolvida nos anos 60, ela apresenta uma operação leve, simplificada e com quase nenhuma restrição. 

O que é uma CLI?

A sigla em inglês Command-Line Interface (CLI), ou Interface de Linha de Comando em português, serve para se referir a um programa que funciona por meio de linhas de comando e que aceita a entrada de texto para executar funções do sistema operacional.

Trata-se de um formato antigo que apareceu nos primeiros sistemas de computador. Antigamente, esse tipo de visualização de tela — que está sendo usada para a leitura deste artigo — não existia. O programa era a única forma de interagir com esses aparelhos.

Ao longo do tempo, com o desenvolvimento da tecnologia, surgiu a Interface Gráfica de Usuário (GUI), que, nos dias de hoje, é o ambiente mais tradicional para a operação dos aparelhos que usamos no dia a dia, tais como:

  • computadores;
  • notebooks;
  • tablets;
  • smartphones;
  • e etc. 

Dessa forma, as interfaces de linha de comando passaram a ser mais usadas por programadores no desenvolvimento de aplicações, como sites, plugins e softwares, que utilizam comandos tradicionais e precisam ser feitos em interfaces que sejam focadas em linhas.

Inclusive, essa ferramenta ainda pode ser encontrada em alguns sistemas tradicionais de computadores, como Linux e OS X. 

Em resumo, podemos defini-las como uma interface de texto, que é acessada por comandos em prompts, em vez de usar o mouse por meio da interface GUI.

Qual a função de uma CLI e como ela funciona?

A principal função de uma interface de linha de comando é permitir a execução de tarefas em um computador, seja para programar uma nova aplicação ou para a  configuração de um sistema. 

O trabalho com essa interface funciona da seguinte maneira: o usuário digita um comando, aperta “enter” e espera pela resposta de confirmação da máquina. O resultado é quase imediato, o tempo de processamento varia de acordo com o comando solicitado.

Também vale ressaltar que cada CLI tem sua própria linguagem de comando, apesar de haver algumas padronizações que facilitam a sua utilização. 

Quais são as vantagens de usar uma Interface de Linha de Comando?

A agilidade é uma das principais vantagens de uma CLI. Como visto anteriormente, os usuários já familiarizados com a ferramenta costumam achá-la simples e rápida. Mas há muitas outros atrativos, as mais citadas são: 

  • variedade de possibilidade de comandos;
  • redução de recursos — não necessitam de uma máquina com recursos de alta performance;
  • velocidade na execução de tarefas recorrentes — a interface de linha de comando, permite ao usuário automatizar tarefas repetitivas;
  • economia de tempo — a agilidade aliada a automatização de tarefas recorrentes poupa o tempo dos usuários;
  • maior capacidade de processamento — comparada a outras interfaces, requisitam menos capacidade de memória, além de ter um tempo de processamento menor. 

Quais são as desvantagens de uma CLI?

No geral, essas interfaces não oferecem muitas desvantagens ao seu utilizador. Um ponto que pode desfavorecer o seu uso é que essa ferramenta requer um nível mais alto de memorização e familiaridade com os comandos. 

Um leigo de programação, por exemplo, pode encontrar dificuldades na primeira tentativa. Assim, algumas das vantagens dessa ferramenta também podem se tornar um problema. São eles: 

  • diversidade de comandos — para fazer um bom proveito do programa, os usuário precisam aprender muitos comandos;
  • ferramenta de alta precisão — se houver qualquer erro de digitação no comando, a ação não será executada e, muitas vezes, isso pode gerar um retrabalho para o usuário. 

As principais ferramentas de uma CLI

Para que o usuário possa executar ações a partir de uma interface de linha de comando, existem algumas ferramentas básicas que fazem parte das suas atividades principais de funcionamento. Veja algumas das principais! 

Shell interativo

O Shell é uma interface que processa os comandos que são digitados na CLI. A sua função é ser o receptor dessas linhas para poder interpretar o conteúdo que foi colocado nelas. Assim, o Shell vai executar as ações de acordo com o que foi solicitado pelo usuário.

O Shell também atua no gerenciamento de processos. Ele é age como um verdadeiro organizador, garantindo que seja possível trabalhar com uma seleção maior de linhas de comando em um ritmo dinâmico na CLI.

Essa ferramenta pode ser enxergada mais como um conceito do que como um produto. Há diferentes tipos dessa interface, o que varia de acordo com o sistema operacional utilizado. Os Shells mais comuns são: 

Editor de texto

O editor de texto é uma das funcionalidades mais importante, pois é justamente por ele que as linhas de comando são inseridas. Existem alguns tipos diferentes dessa ferramenta, que também cumprem papéis distintos na rotina de uso de uma interface de linha de comando, como por exemplo: 

  • os editores de texto básicos — servem para executar comandos relacionados ao sistema operacional;
  • os editores de texto programáveis — são voltados para o desenvolvimento de linhas de comando para a programação de aplicações, como o Notepad++, um editor de texto e de código fonte de código aberto sob a licença GPL.

Multiplexer

O multiplexer é uma ferramenta que permite ao usuário realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo numa interface de linha de comando. Essa ferramenta é uma mão na roda para quem deseja testar uma linha de código ao mesmo tempo em que a cria, por exemplo. 

É uma forma de tornar o trabalho mais fluido, rápido e eficiente. Com o multiplexer, o usuário consegue abrir mais de uma janela em uma sessão do terminal que está usando, podendo alternar entre essas janelas a qualquer momento, sem limitações. 

Assim como os editores de texto, existem alguns tipos de ferramentas que garantem essa possibilidade. 

Assim, para ter uma utilização mais completa de uma interface de linha de comando, vale a pena o usuário inserir um pacote de comandos (um por um). Além das ferramentas mencionadas, existem muitos aplicativos (sistemas de processamento único) que ainda usam essa interface para seus operadores. 

Agora que você já sabe o que é uma CLI e está por dentro de toda a sua potencialidade para executar ações em sistemas de computador, que tal mergulhar ainda mais no universo da programação? Descubra qual a linguagem mais adequada para o desenvolvimento de sites

Lívia Bentini
Lívia Bentini é redatora da Agência Mestre. Adora escrever e acredita que compartilhar conteúdo de valor enriquece as trocas entre o público e uma marca. Sempre quer aprender coisas novas e adora o seu trabalho, porque ele o coloca frente a vários assuntos diferentes. Fora da vida profissional, ela gosta de estar em contato com a natureza, conversar sobre a vida e conhecer novos lugares.