Tipos de Servidores — Descubra Qual o Mais Adequado Para O Seu Site

Escolha a melhor opção!

Criar um site não se trata apenas de colocá-lo no ar. É essencial escolher entre os tipos de servidores disponíveis, já que existem diferentes opções que irão se adequar melhor à categoria de página que você quer colocar on-line, as demandas que ela terá da rede e o suporte para visitas.

Mas, afinal, como fazer essa escolha? E quantas opções existem? Continue lendo este artigo e descubra as principais informações para tomar a decisão certa!

Conheça os servidores da GoDaddy!

O que é um servidor?

Ao começar o seu projeto de construção da presença on-line, você percebe logo de cara que é preciso fazer um site. Isso porque ele é o ponto central para concentrar todas as informações sobre o seu negócio, com dados de contato, serviços oferecidos, produtos vendidos e, até mesmo, servir como loja virtual.

Porém, esse processo não é simplesmente adquirir um domínio e escolher um sistema de hospedagem para começar a postar. No meio desse processo, é preciso se decidir entre os tipos de servidores disponíveis.

Mas, então, o que é um servidor? Ele é a base que permite que sua página esteja disponível on-line durante as 24 horas, todos os dias. Além disso, é o responsável por armazenar dados e administrar o tráfego de visitantes.

Quais são os tipos de servidores encontrados?

Existe uma ampla variedade de tipos de servidores disponibilizados para uso na internet. Cada um deles foi desenvolvido para atender diferentes demandas, de modo que é importante que você conheça as características dos principais deles. Confira as opções mais buscadas entre os donos de sites.

1. Servidor compartilhado

Esta é uma das versões mais populares no mercado, já que, como o nome sugere, trata-se de um servidor que é compartilhado com outros usuários. Isso significa que, quando falamos de valores, é uma alternativa bastante econômica, já que existe uma divisão com outras pessoas no custo da infraestrutura.

Outra vantagem é que a sua plataforma é bastante simplificada, de modo que aqueles que não possuem o conhecimento para administrar o serviço não precisarão se preocupar em realizar atividades muito técnicas.

Entretanto, a performance tem chances de ser um pouco afetada, uma vez que a quantidade de usuários pode causar uma sobrecarga no sistema caso um deles receba um tráfego muito alto repentinamente. Outro ponto a ser analisado é a segurança, já que falhas são mais suscetíveis a essa modalidade.

De qualquer forma, é recomendado para aqueles que não têm muito dinheiro e estão precisando economizar. Também é uma opção interessante para a hospedagem de sites que ainda não possuem um grande volume do tráfego, ou mesmo estão sendo desenvolvidos para a execução de testes.

2. Servidor dedicado

Como sugere o nome, este é um modelo que é totalmente dedicado ao usuário. A principal vantagem é que o uso e gerenciamento é exclusivo do contratante, de modo que não há risco de sobrecargas causadas por terceiros.

Além disso, o servidor dedicado é extremamente seguro. Os dados compartilhados são provenientes apenas da sua conta e mais ninguém terá possibilidade de acesso.

Porém, sua tecnologia é um pouco mais avançada e requer mais conhecimentos das pessoas responsáveis por administrar o software. A manutenção e o gerenciamento devem ser feitos por conta própria, de modo que é preciso ter cuidado com a remoção de informações.

Assim, caso não possua uma equipe de TI para fazer esse serviço, é possível contratar a plataforma com um pacote administrativo.

É fortemente recomendado para sites que possuem um tráfego intenso, já que ele oferece uma maior largura de banda e espaço de armazenamento.

3. Servidor VPS

O Servidor Virtual Privado — ou seja, VPS —, é um sistema intermediário entre as duas opções acima. Funciona da seguinte forma: a plataforma é capaz de hospedar vários sites, porém cada um deles contará com sua própria máquina virtual, que oferece um software, largura de banda e armazenamento particulares a cada um deles.

Por conta disso, o desempenho e a segurança são pontos fortes, já que as páginas estarão separadas e nenhuma das funções será, de fato, compartilhada. Só é preciso ter cuidado com a manutenção e gerenciamento, pois um tráfego alto pode prejudicar no acesso a essas funcionalidades.

É a opção ideal para quem tem um orçamento apertado, mas ainda deseja fazer um investimento no servidor. Principalmente para aqueles usuários que acreditam que seu tráfego pode aumentar rapidamente.

4. Cloud hosting

Este é um dos tipos de servidores em maior crescimento nos últimos anos, já que as soluções de cloud computing se tornam cada vez mais interessantes para quem trabalha com a internet. Nessa modalidade, os dados ficam armazenados na “nuvem” e os usuários têm a vantagem de poder acessá-los a qualquer momento, de qualquer dispositivo.

Isso faz com que a performance seja um ponto de destaque, uma vez que as soluções acontecem de forma mais rápida e prática. Outro benefício é a escalabilidade, que permite agilidade, disponibilidade e estabilidade do sistema.

Por outro lado, esse aspecto vantajoso também pode ser uma desvantagem: a acessibilidade depende da internet. Caso não haja rede, não será possível executar o sistema.

Já escolheu entre os tipos de servidores? Então entre no site da GoDaddy Brasil e conheça nossas opções!

Isabela Guiaro
Isabela Guiaro é jornalista e Analista de Conteúdo na Agência Mestre. Pós-graduada em Globalização e Cultura, é apaixonada por estudos relacionados à cultura latino-americana e pelo idioma espanhol, além de saber até demais sobre as indústrias musical e cinematográfica da América Latina. Conecte-se com Isabela pelo Twitter.